segunda-feira, 1 de outubro de 2012

UPPS: de minha parte, obrigado


Zeca Borges

Conta-se muito esta história sobre Elizabeth I da Inglaterra. A rainha e seu protegido, Sir Walter Raleigh, divertiam-se a fumar charutos - na segunda metade do século XVI, isto devia ser uma grande novidade, dentre outras vindas da América.
Observando a fumaça, Raleigh afirmou que ela poderia ser pesada. E, apanhando um charuto novo, iniciou sua demonstração. Colocou-o numa balança e anotou seu peso. Acendeu-o e começou a fumá-lo, tendo o cuidado de colocar suas cinzas no prato da balança. Quando terminou, colocou o que restava do charuto junto às cinzas, e verificou o peso. A diferença que faltava, afirmou ele, era o quanto a fumaça pesava. Brilhante.
A rainha ficou ainda mais encantada com seu favorito. Embora tenha sido interessante, o que aconteceu depois já não tem relação com o assunto que iremos abordar. A história fica por aqui.

Uma das maiores contribuições de iniciativas como a das UPPs no combate ao crime tem muito a ver com a fumaça de charutos. Pode-se dizer o mesmo do Disque Denúncia e das ações preventivas da polícia civil e do BOPE, e, especialmente, das atuais atividades de policiamento ostensivo realizadas pela PM.
O resultado não aparenta peso, embora ele exista. A maneira de se obter esse peso tem algo a ver com o que Sir Walter Raleigh demonstrou. Se na cidade do Rio de Janeiro, por exemplo, os casos de homicídio caíram de acordo com as informações do ISP, podemos afirmar que 160 pessoas deixaram de morrer entre Janeiro e Agosto de 2012. Estas 160 vidas foram poupadas no período. É o quanto pesa a fumaça.
Nunca se saberá quem foram os que escaparam. Conhecemos apenas os 886 que foram mortos, quem são e como foram chorados. Mas não houve comemoração na família dos que estão vivos. Como posso estar entre eles, de minha parte, muito obrigado.

6 comentários:

Anônimo disse...

Infelizmente não é isso que observamos, nós moradores de comunidade.Se o sr. compara a iniciativa das UPPs no combate ao crime afirmando que tem muito haver com a fumaça do charuto, certamente porque o charuto não é de qualidade, por essa razão não pode ser consumido totalmente ou parcialmente,pois ainda resta uma grande parte do charuto a ser comsumida.Nesse caso da Cidade de Deus a fumaça foi/é muito pouca, por essa razão o charuto continua quase intácto. Portanto, há necessidade urgente da compra de novos charutos e de qualidade, pois sabemos perfeitamente que é possível. Após a compra de novos charutos aí sim,vamos pesá-los, posteriormente fumá-los, depois vamos juntar o que sobrou dos charutos as cinzas, pesá-los novamente para sabermos exatamente o que se transformou em fumaça.
Cordialmente,

Anônimo disse...

Qual o email do disque denúncia para eu mandar uma informação com dados e foto do google para prisão de marginais em niterói , aguardo o email..

Anônimo disse...

já viram esse perfil
https://www.facebook.com/julia.marley.562?notif_t=friend_confirmed

Anônimo disse...

Eu estou querendo saber como o governo do Estado e Prefeitura podem se vangloriar de UPPs, que desempenham um excelente trabalho, quando na verdade só fizeram serviço para o "Inglês ver". As armas de fogo continuam dentro das favelas; os traficantes continuam fazendo a venda de tóxicos, nas "comunidades". O que esta acontecendo é que estão descendo dos morros para fazer nas ruas próximas o que faziam nos morros, constrangendo pessoas e incomodando o sossego de quem paga seus impostos em dia e não gosta de bagunça a sua porta. Acredito que UPPs de diversas localidades, como da minha localidade, digo Zona Norte e área do 3° BPM, parece não se interessar pelas reclamações e bem estar da população que lhes solicita atendimento, visto que não há interesse em prestar o devido atendimento. Este tipo de comportamento é totalmente inadequado para um funcionário público que faz juramento quando o assume. Sendo este fato típico e corriqueiro sempre relacionados aos mesmos funcionários; que tal privatizar de vez a Policia Militar, para poder expurgar os maus funcionários. Abraços

Eraldo Silva disse...

Na Rocinha recém pacificada, situação está insustentável. Varejistas do tráfico estão por toda parte da comunidade. Como sempre, eles chegam, se estabelecem nas calçadas de moradores, claro, sem pedir licença. O pior de tudo é que tudo acontece nas "barbas" da Polícia Militar, que nada faz para resolver o problema. Na Paula Brito, onde moro na Rocinha, faz tempo que a PM passa por lá.
jornalsitaes09@gmail.com

HIDDENCARACTER disse...

FAÇAM ALGUMA COISA!!!

A BANDIDAGEM DO CV TIRA A PAZ DOS MORADORES DA RUA CAMINHO BERNARDO COM BAILES FUNK DESGRAÇADOS A NOITE TODA! ESTAMOS CANSADOS DE DENUNCIARMOS E VOCES NÃO FAZEM NADA!!!!!

É TODAS AS SEXTAS, SÁBADOS E DOMINGOS, TIRANDO TODA A PAZ!!!
ROLA TRAFICO DE DROGAS, REUNIÃO DE TRAFICANTES, POLICIAIS CORRUPTOS MESMO (VERDADE SIM!!!!!!!!!) E FICA TUDO POR ISSO MESMO!!!!!

O LOCAL DA BADERNA É NA RUA CAMINHO DO BERNARDO, S/N CEP: 21655-800 - FINAL DA RUA!!!!

CRIANÇAS TOMAM CONTA DO TRÁFICO E AINDA DESAFIAM OS MORADORES!!! VONTADE É DE DAR UM MURRO NOS DENTES!!!!!

QUEREMOS JUSTIÇA PELAS MORTES QUE ESSES VERMES CAUSARAM!!!!! ESTAMOS FARTOS DELES AQUI E JAMAIS ACEITAREMOS!!!!!!

QUEREMOS PAZ!!!
ESSE SAFADOS NÃO NOS DÃO PAZ!!!!

NOVIDADES: SE NÃO PEGARAM, O DG TÁ AQUI NA RUA CAMINHO DO BERNARDO S/N FAZENDO ESSA DESGRAÇADA FESTA!!!!! NINGUÉM AGUENTA MAIS!!!!!! QUEREMOS QUE FAÇAM ALGUMA COISA!!!!!!