quinta-feira, 23 de julho de 2009

Sino do Inferno

"Barulho furioso, contínuo, barulho do apocalipse,
barulho de fim de mundo, para coisa nenhuma".
(João do Rio, 1919)

Em operação da Polícia Civil no Morro da Mangueira, no último dia 15 de julho(1), foi apreendida uma metralhadora Madsen 7.62, além de outros armamentos pesados (dois fuzis e uma metralhadora ponto 30). Na véspera, no Pavão-Pavãozinho, policiais da DRAE apreenderam outra destas metralhadoras dinamarquesas. (2)


Chamada de Madame Satã ou Sino do Inferno, pelas rajadas ensurdecedoras que produz, a Madsen era somente vista na PM do Rio, em especial no BOPE, sendo usada em confrontos contra traficantes de drogas, provocando terror e dissuasão por seu ruído diferenciado.(3) Sempre foi difícil encontrar uma arma dessas em mãos de traficantes, talvez pelo fato de não haver especialistas em seu manuseio e manutenção.


A Central Disque-Denúncia sinalizou em um relatório de análise criminal de 2007, que haveria uma em poder de traficantes do Morro do Dendê, Ilha do Governador. A Madsen identificada era usada pelo chefe do tráfico daquela comunidade, Fernando Gomes da Silva (Fernandinho Guarabu), ligado ao Terceiro Comando. Ela foi apreendida em março de 2008, numa operação conjunta da CORE e da DCOD.(4)

Três denúncias recebidas neste ano afirmam que traficantes de uma facção criminosa estariam em poder deste armamento, para futuras invasões a redutos de uma outra facção rival. Segundo outras fontes, ela também estaria em mãos de traficantes de uma das áreas mais violentas da cidade. Os relatos citam pequenas quantidades, uma ou duas unidades no máximo. Mas indicam que essa arma de longo alcance e de alto poder destrutivo já começa a circular nas mãos de traficantes de várias facções.


Em junho de 2004 uma Madsen foi recuperada de uma quadrilha no Maranhão. Ela havia sido roubada de um quartel da PM do Piauí. Em setembro de 2006 a Polícia Federal apreendeu outra, no Paraná, vinda da Argentina. Em junho de 2007, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu mais uma em Itatiaia, destinada ao Rio de Janeiro.(5)


Em março de 2007, uma arma deste tipo foi roubada do Museu Histórico do Exército, mas logo recuperada pela DRAE.(6) Segundo explicações oficiais, ela não tinha poder de fogo. Há especialistas que afirmam que uma arma naquelas condições, nas mãos de um bom armeiro, voltaria a funcionar em seu pleno poder.


A Madsen, calibre 7.62, é uma metralhadora ligeira desenvolvida em 1903, pelo oficial de artilharia do exército da Dinamarca, Vilhelm Madsen. Foi utilizada nas I e II Guerras Mundiais e em guerras localizadas, como a Guerra do Chaco, entre Paraguai e Bolívia. Pesa aproximadamente 9 kg e tem um alcance eficaz de 400 metros. Possui um alimentador em curva, que possibilita sua fácil identificação. É capaz de disparar 450 vezes por minuto e pode atingir um alvo a quase dois quilômetros de distância. O barulho produzido por ela é assustador.


video


1.Mangueira / 2.Pavão-Pavãozinho / 3.Morro dos Macacos - Morro do Encontro / 4.Fernandinho Guarabu: / 5.Maranhão; Madsen Polícia Federal Paraná; Polícia Rodoviária Federal; / 6.Museu Histórico do Exército; 7.Tributo à Madsen; / 8.Cidadão Assustado; Guerra do Chaco; Guerra Colonial Portuguesa; Madsen no Exército Brasileiro



3 comentários:

Marcia disse...

Daqui a pouco os caveirões, serão substituídos por tanques,e carros blindados serão pré-requisito de fábrica.
Que loucura!

Raphael disse...

Comentário de teste

Anônimo disse...

Vocês estão certos, se todos fizerem sua parte, vamos ter um Brasil com menos violência, e poder dormir de porte aberta no calor, denovo.